Geoprocessamento

Tecnólogo

O tecnólogo em Geoprocessamento lida com a medição e a caracterização de terrenos. Ele trabalha basicamente com agrimensura, cartografia e sensoriamento remoto para mapear lotes, observando características como relevo e tipo de solo. Utiliza tecnologias avançadas, entre elas imagens de satélites e radar, e também conhecimentos de topografia e geodésia. Em parceria com engenheiros agrimensores e civis, ajuda a delimitar áreas ou lotes e a demarcar a localização de determinados pontos - levantamentos fundamentais para o planejamento urbano e a instalação de indústrias, condomínios ou de outras grandes obras, como rodovias e barragens. Pode, ainda, realizar vistorias, fazer avaliações e elaborar laudos técnicos. É fundamental manter-se atualizado sobre os constantes avanços na área de informática, além de ter habilidade para lidar com cálculos.

MERCADO DE TRABALHO
As melhores chances de contratação estão em firmas que executam projetos nas áreas agrícola e ambiental e em órgãos públicos, como prefeituras, secretarias de meio ambiente, companhias de tratamento de água e esgoto e organismos como o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Atuando como autônomo, o tecnólogo é solicitado para fazer demarcação de propriedades urbanas e rurais, implantação de loteamentos, mapeamento e monitoramento de áreas verdes e interpretação de imagens de satélite. A lei federal que criou o Cadastro Nacional de Imóveis Rurais, aprovada em 2001, que torna obrigatório o registro de propriedades rurais e seu levantamento topográfico, mantém o mercado aquecido, principalmente para quem domina as técnicas de georreferenciamento (mapeamento de grandes áreas usando imagens de satélite e fotos aéreas). Há demanda em praticamente todo o país, mas, pela carência de profissionais, as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste têm o maior número de ofertas.
$ Salário médio inicial: R$ 1.900

O CURSO
Esse é um curso voltado para as ciências exatas, com matérias como matemática, física e geociências. As disciplinas básicas incluem topografia, sensoriamento e geodésia. Os cursos direcionados para agrimensura têm no currículo matérias como desenho topográfico, urbanismo, direito e legislação de terras. Já nos que focam sensoriamento remoto e geoprocessamento, o aluno estuda tratamento de imagens de satélite e de radar, além de monitoramento ambiental. O estágio não é obrigatório, mas ao final do curso é necessário apresentar um projeto de conclusão perante uma banca examinadora.
Duração média: três anos.
Outro nome: Agrim.

_EDITO_COMEFROMCursos Preparatórios Para Concursos : http://capecurso.com.br/site/modules/edito/content.php?id=65