Engenharia Hídrica

É o setor da engenharia que cuida da exploração, do uso e da gestão da água. Planejar e orientar a utilização das águas de bacias hidrográficas, prevenindo os impactos negativos que elas possam sofrer em conseqüência de atividades industriais, agrícolas e urbanas, é a principal função do engenheiro hídrico. Ele cuida da captação, do transporte, do emprego e do tratamento da água para atender a população e reduzir eventuais danos ambientais.

Calcula a demanda e a disponibilidade hídrica nas bacias e auxilia na implantação de políticas de uso e controle de qualidade da água, bem como da manutenção e recuperação de mananciais. Também cabe a ele elaborar redes de água e esgoto, de irrigação e drenagem. No setor de energia, atua na operação de reservatórios e no planejamento dos recursos hídricos. Ao lado dos engenheiros sanitarista e ambiental, trabalha com a recuperação e a manutenção desses recursos. Com engenheiros civis, projeta canais, portos e barragens.

MERCADO DE TRABALHO
A demanda pelo engenheiro hídrico tem crescido bastante nas indústrias que utilizam, em seu processo produtivo, grande volume de água, como as de laticínios e de alimentação, pois elas precisam de sistemas eficientes para uso e reaproveitamento desse bem natural. A procura por esse profissional continua grande no setor público, que planeja grandes obras como a transposição do rio São Francisco, e em outras áreas, entre elas a de exploração de petróleo, que requer profissionais com conhecimento aprofundado de hidráulica. Geralmente, a contratação dos recém-formados é imediata.

No Brasil, 75% da energia elétrica é gerada por usinas hidrelétricas, que precisam do profissional para funcionar. Em todo o país, devem ser construídas pequenas centrais hidrelétricas com fontes alternativas de energia, que têm menor impacto ambiental. A Agência Nacional de Águas (ANA) costuma fazer concursos para engenheiros hídricos, que atuam nas áreas de gestão de bacias e projetos.

O engenheiro também trabalha em planos diretores de revitalização de bacias hidrográficas e em câmaras técnicas de cobrança de água. No setor privado, aumentam as chances de colocação, principalmente em consultorias ambientais e em empresas de engenharia que realizam construção de barragens e reformas de usinas hidrelétricas, entre outras obras. Há vagas em todo o Brasil, mas elas se concentram no Sul e Sudeste, onde se localiza a maioria das empresas da área.
$ Salário médio inicial: R$ 2.300

O CURSO
O início tem matemática, física, cálculo e química, além de matérias introdutórias que fornecem um panorama geral do curso. A partir do segundo ano começam as disciplinas específicas com as quais o estudante conhece as principais formas de ocorrência e uso das fontes hídricas, assim como detalhes sobre geração de energia elétrica. O aluno tem aulas de microbiologia, ecologia, hidrologia, economia de recursos naturais e irrigação e drenagem, entre outras. Há também conteúdos de cunho social, como ética profissional e legislação ambiental. Aulas em laboratório e atividades de campo, como visitas técnicas a usinas hidrelétricas, são promovidas durante todo o curso. O estágio e um trabalho de conclusão são obrigatórios.

Duração média: cinco anos.

O QUE VOCÊ PODE FAZER
Estudos ambientais
Elaborar projetos, programas e ações de proteção ambiental, avaliando o impacto de obras de grande porte na natureza, como usinas hidrelétricas, estradas e reservatórios.

Gestão de bacias
Planejar a utilização da água de bacias hidrográficas, para evitar a poluição e o desperdício de
recursos naturais.

Operação de reservatórios
Administrar o uso das águas de represas, aliando a geração de energia elétrica com atividades de irrigação, transporte e lazer.

Projetos
Projetar sistemas e redes de irrigação, drenagem, bombeamento de água e obras como canais e portos.

_EDITO_COMEFROMCursos Preparatórios Para Concursos : http://capecurso.com.br/site/modules/edito/content.php?id=40