Engenharia de Alimentos

São as técnicas e os conhecimentos usados na fabricação, na conservação, no armazenamento e no transporte de alimentos industrializados. Esse profissional cuida de todas as etapas de preparo e conservação de alimentos de origem animal e vegetal. Seleciona a matéria-prima, como leite, carnes, peixes, legumes e frutas, e define a melhor forma de armazenagem, acondicionamento e preservação dos produtos, projetando equipamentos e embalagens. Cria e testa formulações, a fim de determinar o valor nutricional de alimentos industrializados, seu sabor, sua cor e consistência. Define, também, o tipo de conservantes usados na preservação. A indústria alimentícia é, sem dúvida, seu principal campo de atuação. Mas pode trabalhar, ainda, em indústrias fornecedoras de equipamentos, embalagens e aditivos.

MERCADO DE TRABALHO
A indústria de alimentos responde atualmente por cerca de 9% do Produto Interno Bruto (PIB). Nos últimos cinco anos, praticamente dobrou o faturamento. Com isso, as perspectivas de trabalho no setor são boas. A grande maioria dos profissionais encontra emprego antes mesmo de concluir o curso. Empresas alimentícias e agroindústrias, de todos os portes, abrem as portas para o bacharel nas áreas de controle de qualidade, produção, pesquisa e desenvolvimento, projetos e vendas técnicas. Nos estados de Goiás e de Mato Grosso, há chances de emprego com a soja, o gado de corte, o processamento de óleos e os frigoríficos para exportação. O Rio Grande do Sul e o Paraná prometem vagas nas indústrias de óleos e carnes. Em supermercados e nas empresas de food service e de fast food, que oferecem alimentos prontos e semiprontos, o engenheiro atua na especificação técnica de equipamentos e no preparo, no controle de qualidade, na conservação e na estocagem dos alimentos. No setor de logística, é grande a demanda pelo profissional, para cuidar da conservação de alimentos perecíveis durante o transporte para a sua distribuição. Essas vagas são mais freqüentes nas regiões Sul e Sudeste.
$ Salário médio inicial: R$ 2.500

O CURSO
Os dois primeiros anos são de formação básica com aulas de matemática, química, bioquímica, físico-química e termodinâmica. Depois, o currículo enfatiza as disciplinas mais técnicas ligadas à produção e conservação dos vários tipos de alimentos. Os conteúdos das áreas de economia e administração dão fundamento para o futuro profissional atuar em gerenciamento industrial. O estágio é obrigatório no último ano.

Duração média: cinco anos.

O QUE VOCÊ PODE FAZER
Automação de processos
Planejar e implantar linhas automatizadas de produção.

Controle de qualidade
Organizar métodos e sistemas de controle de qualidade das matérias-primas e do produto processado nas indústrias alimentícias.

Pesquisa e desenvolvimento
Criar e aperfeiçoar produtos, de acordo com as necessidades do mercado. Pesquisar e elaborar tecnologias de produção.

Produção
Estudar processos de conservação e de embalagem, coordenar análises laboratoriais e fazer a seleção de máquinas e equipamentos fabris.

Projetos agroindustriais
Avaliar a viabilidade econômica de novas indústrias, estudando as oportunidades de mercado, os custos, as instalações e os equipamentos.

Tratamento de resíduos
Definir métodos de descarte, reciclagem e possível reaproveitamento de resíduos da indústria alimentícia, protegendo o meio ambiente.

Vendas técnicas
Comercializar matérias-primas, aditivos e equipamentos para indústrias alimentícias e também produtos de toda a cadeia produtiva de alimentos para o consumo.

_EDITO_COMEFROMCursos Preparatórios Para Concursos : http://capecurso.com.br/site/modules/edito/content.php?id=25