Relações Internacionais

Bacharelado

É a condução das relações entre povos, nações e empresas nas áreas política, econômica, social, militar, cultural, comercial e do Direito. Esse bacharel analisa o cenário mundial, investiga mercados, avalia as possibilidades de negócios e aconselha investimentos no exterior. Promove entendimentos entre empresas e governos de diferentes países, abrindo caminho para exportações, importações e acordos bilaterais ou multinacionais. A internacionalização da economia amplia o campo de atuação desse profissional, que pode trabalhar em ministérios, embaixadas e consulados, grandes empresas, bancos e ONGs.

MERCADO DE TRABALHO
O mercado para esse profissional está se consolidando e crescendo. Multinacionais como a Ambev, a Unilever e a Danone oferecem vagas para trainees para atuar no Brasil ou no exterior. Além da iniciativa privada, na qual há mais oportunidades, ONGs nacionais e internacionais ligadas às áreas de cultura, meio ambiente, direitos humanos, combate à pobreza e turismo sustentável abrem muitas portas para o analista internacional. Em instituições financeiras, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento e o Banco Mundial, e em organizações intergovernamentais internacionais, entre elas a ONU, a Unesco, a OMC e a OEA, há boas chances de trabalho para quem já tem experiência, possibilidade que se torna mais plausível para aqueles que investem numa pósgraduação no exterior. As vagas crescem ainda no setor público, que busca o profissional para trabalhar como analista de comércio exterior, fornecendo assessoria internacional a ministérios, autarquias, fundações e ao Banco Central. Como as consultorias de Relações Internacionais que prestam serviço para empresas estão se espalhando e se consolidando, surgem novas oportunidades para esse bacharel. Os postos de trabalho estão concentrados no eixo Rio-São Paulo e em Brasília (DF), mas novas vagas aparecem em Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), na região amazônica e também no estado do Ceará, que tem uma política de inserção internacional bastante ativa. Em geral, os recém-formados não têm dificuldade em conseguir uma colocação. O departamento de Relações Internacionais da PUC-MG, por meio do Centro de Serviço de Carreiras, realizou em 2006 uma pesquisa com egressos do curso e constatou que metade deles não levou mais de seis meses para conseguir o primeiro emprego.
$ Salário médio inicial: R$ 2.500

O CURSO
O currículo divide-se em três grandes áreas: política, direito e economia. Durante o curso, você estuda muita sociologia, economia e história. Além disso, tem aulas práticas com simulação de negociações políticas, empresariais, comerciais e diplomáticas. É uma graduação que exige bastante leitura e o domínio de línguas estrangeiras - o inglês é indispensável. A maioria das escolas exige que seus alunos façam estágio em empresas ou instituições públicas ou privadas com atuação internacional. É obrigatória a realização de um trabalho de conclusão de curso.
Duração média: quatro anos.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

Agências governamentais
Planejar ações dos governos federal, estadual ou municipal nos setores político, econômico, comercial, social e cultural.

Analista internacional
Coletar dados e elaborar relatórios sobre a conjuntura internacional para órgãos governamentais, empresas privadas e ONGs. Participar da elaboração de programas de cooperação com outras nações.

Comércio exterior
Identificar oportunidades de comércio com outros países e intermediar a importação e a exportação de produtos

_EDITO_COMEFROMCursos Preparatórios Para Concursos : http://capecurso.com.br/site/modules/edito/content.php?id=178