Museologia

Bacharelado

É a organização, a apresentação e a conservação de acervos de museu. O museólogo dedica-se à classificação, à conservação e à exposição de peças de valor histórico, artístico, cultural e científico. Sua missão é transmitir conhecimentos e desenvolver ações culturais por meio de acervos. Além de planejar e executar tarefas de documentação, arquivamento e conservação de objetos, ele faz aquisições, administra coleções e promove intercâmbio de peças com outros museus. Organiza mostras e exposições, analisando a melhor forma de apresentar as peças, de acordo com o interesse do público. Pode atuar em universidades, centros comunitários e sítios arqueológicos.

MERCADO DE TRABALHO
As leis de incentivo à cultura fazem surgir oportunidades para o profissional. O mercado está aquecido desde a criação do Sistema Nacional de Museus pelo governo federal, em 2004, cuja proposta é o estímulo de ações nos museus do país. A Biblioteca Nacional e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro (RJ), e a Fundação Palmares, em Brasília (DF), realizam concursos para a contratação de museólogos. Os centros culturais de empresas, sobretudo os de bancos, são outra possibilidade de emprego. Embora as vagas fixas tenham aumentado nos últimos anos, muitos formados ainda atuam como prestadores de serviço. As cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro são as que mais oferecem emprego devido à concentração de museus e centros culturais. Na Bahia, principalmente em Salvador, o museólogo encontra boas ofertas, devido à tradição do estado em preservar a memória histórica. O Rio Grande do Sul carece de bacharéis. As especialidades mais procuradas são catalogação e classificação de acervos, conservação e montagem de exposições.
$ Salário médio inicial: R$ 2.500

O CURSO
Algumas disciplinas da área das ciências humanas, como história da arte, história geral e do Brasil, oferecem conhecimentos para uma formação mais sólida. Há aula sobre conservação de acervos, documentação museológica e gestão de museus. Na parte prática do curso, o aluno aprende a construir maquetes, montar exposições e catalogar peças de acervo. As escolas exigem estágio e um projeto de conclusão de curso.
Duração média: quatro anos.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

Ação cultural
Articular conteúdos e temáticas tratados em exposições para públicos específicos, como estudantes ou idosos, buscando formas pedagógicas de apresentação do acervo ao público.

Ação documental
Estabelecer políticas de aquisição, cuidar da seleção de peças e da identificação de obras para o acervo. Promover intercâmbio com museus e instituições culturais, artísticas, históricas e científicas para trocas temporárias de obras. Tratar da documentação para a permuta de obras.

Catalogação
Classificar e organizar o acervo, numerar e fotografar peças, produzir laudos técnicos. Controlar a entrada e a saída de peças, avaliá-las para efeito de empréstimo e auxiliar no tombamento do acervo.

Conservação Avaliar a necessidade de restauração de peças e encaminhá-las para conservação ou recuperação. Monitorar as condições, principalmente ambientais, adequadas ao armazenamento, ao manuseio, ao transporte e à exposição do acervo.

Exposição
Selecionar peças e informações relacionadas com os objetos apresentados nos circuitos expositivos e definir a melhor maneira de mostrá-las.

Memória empresarial
Organizar acervos de empresas e instituições públicas. Pesquisar e recuperar documentos e a história da instituição.

Pesquisa
Aprofundar-se em temas, períodos históricos, artistas ou obras que compõem acervos.

_EDITO_COMEFROMCursos Preparatórios Para Concursos : http://capecurso.com.br/site/modules/edito/content.php?id=169