O subcomandante-geral do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), Ronaldo Alcântara, informou que o pedido de concurso feito à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) foi para a abertura de 400 vagas, sendo 300 para guarda-vidas, de nível médio, e 100 para artífice, de nível fundamental, sendo o último para especialidades a serem definidas. A informação inicial, passada pelo comandate-geral dos Bombeiros, coronel Sérgio Simões, era de que o pedido, que se restringia á função de guarda-vidas, era superior a 150 vagas.
Além das 400 vagas para concurso, o coronel Ronaldo Alcântara informou que a corporação solicitou a convocação de mais 200 aprovados na seleção realizada no ano passado para técnico de enfermagem (120) e soldado combatente (80). “A cada ano, cerca de 500 militares da corporação vão para a reserva remunerada, o que torna necessária a reposição de efetivos”, disse Ronaldo Alcântara. Para que ambas as solicitações mencionadas pelo subcomandante saiam do papel, porém, elas precisarão obter o aval da recém-criada Comissão de Planejamento Orçamentário e Financeiro (Copof), composta pelos secretários de Fazenda, Sérgio Ruy Barbosa, de Planejamento e Gestão, Cláudia Uchôa Cavalcanti, e da Casa Civil, Leonardo Espíndola, além da procuradora-geral do estado, Lucia Léa Guimarães Tavares.
A Copof, de acordo com o decreto que estabeleceu sua criação, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), será responsável por propor e avaliar medidas para contenção e ajuste das despesas de pessoal e encargos, assim como acompanhar a sua implementação. Será uma de suas tarefas autorizar, em conjunto com a Seplag e o governador Luiz Fernando Pezão, a realização de concursos e a nomeação de aprovados. “Mesmo entendendo que o estado precisará fazer cortes no orçamento de 2015, nós levaremos as nossas necessidades de pessoal ao governador para buscar a abertura do concurso ainda neste ano”, garantiu o coronel Ronaldo Alcântara.
Em relação ao cargo de guarda-vidas, a última seleção ocorreu em 2008 e foi executada pela Funrio. A oferta era de 300 vagas e os candidatos fizeram prova objetiva de Língua Portuguesa e Matemática, teste de aptidão física, teste de habilidade específica (piscina e praia), exame de saúde e pesquisa social e documental. Já para artífice, o último concurso foi realizado em 2001. Na ocasião, as 150 vagas foram nas especialidades de lanterneiro, eletricista de automóvel, mecânico de motor diesel, mecânico de motor gasolina, mecânico geral, borracheiro, entre outras.
Os inscritos também foram avaliados por provas objetivas das disciplinas citadas, exames de saúde, capacitação física, psicológico, habilidade específica e pesquisa social e documental. Caso seja autorizado, a tendência é que o concurso não exija dos candidatos limites de idade e altura, conforme aconteceu nos recentes concursos para soldado combatente, técnico de enfermagem e motorista
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...