Concurso do INSSCom 10.106 servidores podendo se aposentar e correndo o risco de chegar a 2017 com 18.420 funcionários nessas condições, a abertura de concurso para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), cujo pedido de concurso para 4.730 vagas tramita no Ministério do Planejamento, é vista como inevitável, na visão de especialistas na área previdenciária. O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, o presidente do INSS, Lindolfo Neto de Oliveira Sales, e o diretor de gestão de pessoas da autarquia, José Nunes Filho, afirmaram, recentemente
que o concurso será realizado em breve e apontaram o alto número de aposentadorias previstas como principal causa. Somado a isso, há uma recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU) para que o governo contrate novos servidores para o INSS, a fim de suprir as necessidades geradas por essas aposentadorias.
Os números da carência mapeada pelo INSS foram enviados como anexo à solicitação de 4.730 vagas ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), sendo 2 mil para técnico do seguro social (nível médio; R$4.400,87), 1.580 de analista do seguro social (nível superior; R$7.147,12) e 1.150 de perito médico (nível superior em Medicina; R$10.056,80). O processo relativo ao pedido de concurso teve avanços significativos no final do mês passado, passando por diversos setores do Ministério do Planejamento, o que demonstra a preocupação da pasta em dar a autorização o mais rápido possível. A expectativa é de que a seleção seja autorizada assim que for aprovado o orçamento da União de 2015, que deverá ser votado nas próximas semanas pelo Congresso Nacional. O cargo de técnico é o que tem maior carência. Dados do próprio instituto informam que dos 10.106 servidores em condições de aposentadoria, 6.330 são técnicos, 14 são analistas, 342 são peritos e 3.420 são de cargos em processo de extinção (1.024 agentes de serviços diversos e 705 datilógrafos).
Com a confirmação do concurso por parte de dirigentes do INSS e dos avanços na análise do pedido de concurso por parte do Ministério do Planejanento, os interessados em conquistar uma vaga devem manter os estudos em dia, de forma a estarem bem preparados quando o edital for divulgado. A última seleção para técnico e perito, em 2011, organizada pela Fundação Carlos Chagas (FCC), é o melhor guia para quem sonha com um deses cargos na autarquia. Na ocasião, foram cobradas 60 questões no caso da função de nível médio, sendo 20 sobre Conhecimentos Gerais (Ética no Serviço Público, Regime Jurídico Único, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo, Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Noções de Informática) e 40 sobre Conhecimentos Específicos. Já os candidatos a perito responderam a 80 questões, sendo 30 sobre Conhecimentos Gerais (Português, Ética no Serviço Público, Noções de Direito Constitucional e Noções de Direito Administrativo) e 50 específicas. O analista, por sua vez, teve o último concurso organizado pela FunRio, no ano passado, e finalizado este ano. A seleção ocorreu por meio de prova objetiva, com 70 questões, sobre diferentes disciplinas de acordo com a área pretendida.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...