Concurso da PMERJ

Concurso para soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro

A nota final da redação do concurso para soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro, junto com a classificação final do exame intelectual, foi divulgada nesta sexta, dia 21, no site da Exatus, organizadora. Para ser aprovado na redação foi preciso conseguir cinco dos dez pontos. Para efeito de desempate, terá vantagem aquele que tiver a maior nota, na seguinte ordem: redação, Português, História, Sociologia, Geografia, Informática, Legislação de Trânsito e Direitos Humanos. Por último, prevalece a maior idade. A segunda etapa do concurso será o exame psicológico, eliminatório, tendo como objetivo aprovar os candidatos que possuem funções mentais e habilidades específicas, além de características de personalidade compatíveis com o cargo.

Já a terceira fase constará de exame antropométrico, mediante verificação do Índice de Massa Corporal (IMC), de acordo com a tabela no subitem 12.3.2 do edital. Ainda haverá exame físico, teste toxicológico, exame médico e pesquisa social e documental (4ª, 5ª, 6ª e 7ª etapas, respectivamente). A seleção destina-se ao preenchimento de 6 mil vagas, 600 delas por mulheres. Dos mais de 100 mil candidatos, 12.599 tiveram a redação corrigida, sendo aprovados 10.939 e reprovados 1.660.
No último dia 12, a Justiça determinou por liminar, a anulação de duas questões de História, beneficiando apenas os quatro candidatos que entraram com a ação ordinária. A decisão da juíza Luciana Losada Albuquerque Lopes, da 13ª Vara da Fazenda Pública, diz respeito às questões 22 e 24, sobre a Batalha de Jenipapo e a Revolução de Ávis. A magistrada mandou intimar a organizadora no dia 13 de novembro, com urgência, e também determinou que as redações dos autores sejam corrigidas, devendo os mesmos prosseguirem nas demais etapas do concurso, caso alcancem a nota mínima, ficando excluídas a nomeação e a posse.
Não foi possível, mais uma vez, entrar em contato com a organizadora Exatus, para saber se foi intimada e se recorrerá da decisão. A seleção ainda está na dependência da ação que pede a sua anulação, movida pela deputada estadual Janira Rocha (Psol). Além disso, um grupo de candidatos que se considera prejudicado com o andamento do concurso aguarda a análise do dossiê entregue ao procurador-geral de Justiça em exercício, Alexandre Araripe Marinho, apontando as alegadas falhas. Especialistas na área também orientam os participantes que se sintam prejudicados a recorrerem ao Poder Judiciário.

Serviço

Resultado: www.exatuspr.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...