Em 2012, não serão realizadas duas edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), como foi estabelecido no ano passado. O Ministério da Educação confirmou na tarde da última sexta, dia 20, que a primeira delas, prevista para 28 e 29 de abril, foi cancelada. O órgão também informou as datas da única prova que ocorrerá este ano: dias 3 e 4 de novembro.

A causa do cancelamento da primeira edição foi um levantamento da empresa contratada pelo MEC para cuidar da gestão de risco do exame nacional, a Modulo Security. O relatório, segundo nota divulgada pelo MEC, concluiu que a realização de duas provas sobrecarregaria a estrutura logística. Teriam sido consultadas as entidades envolvidas com a organização da prova, além de órgãos públicos que trabalharam no apoio ao Enem deste ano.

Bem antes, no entanto, já surgiram dúvidas sobre se o Enem de abril realmente aconteceria. No final de novembro, em encontro no Rio de Janeiro, o presidente da Fundação Cesgranrio, Carlos Alberto Serpa, disse que seria difícil a prova ser realizada. Na ocasião, ele destacou que era preciso o MEC “resolver o problema dos pré-testes”, que são testes aplicados a grupos de candidatos para a “calibragem” das questões a partir da Teoria da Resposta ao Item. A Fundação Cesgranrio compõe, ao lado do Cespe-UnB, o consórcio responsável pela parte de aplicação do Exame.

Este ano, problemas na realização dos pré-testes geraram nova confusão no Enem. As questões de uma dessas provas vazaram e foram passadas para o Colégio Christus, no Ceará. A instituição aplicou, dias antes da prova, um simulado com base nesse material e 14 das questões que estavam nele foram cobradas no Enem de 2011. O caso foi parar na Justiça e as questões foram anuladas para os alunos desta instituição.

No início desta semana, outro indício de que a prova não aconteceria. Após a Justiça Federal acatar um pedido do Ministério Público Federal do Ceará para que todos os espelhos de prova fossem divulgados, Fernando Haddad afirmou que o Enem de abril não estava confirmado, pois seria
impossível, para o MEC, fornecer os espelhos de correção da redação para todos os candidatos, conforme havia sido estabelecido no Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre o MEC e o Ministério Público Federal, no segundo semestre de 2011.

A proposta era, a partir de 2012, realizar duas edições do Enem por ano e, progressivamente, aumentar esse número. Isto para permitir que as edições registrassem números menores de inscritos e que os candidatos tivessem mais oportunidades de fazer a prova ao longo do ano. A expectativa é de que, a partir do ano que vem, possam ser realizadas, pelo menos, duas edições.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...