Arquivo de 11 de outubro de 2011

Enem 2011: Um teste de equilíbrio

O momento é de contagem regressiva para 5,3 milhões de jovens em todo o Brasil. Daqui a pouco mais de duas semanas, exatamente nos dias 22 e 23 de outubro, acontecerá a edição 2011 do Exame Nacional do Ensino Médio. Trata-se de uma ação gigantesca, com a aplicação das provas em 12 mil locais, distribuídos por 1.599 cidades. Tão importante quanto realizar essa avaliação em escala nacional, é a relevância do Enem na vida de cada um dos inscritos. Afinal, ele representa, cada vez mais, o cartão de embarque rumo ao ensino superior – em um grande número de universidades públicas e instituições privadas.

Imagine, então, estudar, estudar, se preparar ao máximo e, bem na hora H, no dia do exame, colocar tudo a perder… Não dá para correr este risco! Além de ter o domínio do conhecimento das disciplinas, adquirido durante todo o ensino básico, se dar bem na prova exige desses estudantes outros elementos. Toda prova traz, embutida, um teste subjetivo. Uma prova de fogo. Para responder bem às questões, e mostrar tudo aquilo que sabe, o candidato precisa estar tranquilo, seguro e confiante. A soma de todos esses fatores é que garante ao jovem estar, efetivamente, preparado.

Com anos de experiência no ensino médio, Nonato de Andrade é autor do livro ‘Novo Enem Comentado’. Editada pela Ferreira, a obra contém 150 questões comentadas de todas as áreas divididas por competência e habilidades, além de dicas de estudo. O professor traça uma espécie de manual de sobrevivência ao Enem, com uma série de cuidados a serem adotados pelos estudantes na véspera e nos dias da prova.



O que fazer – e o que não fazer – no dia da prova?

Na semana que antecede ao exame, os inscritos devem tomar algumas providências de ordem prática, aponta o professor. “Procure conhecer antecipadamente o seu local da prova. É importante visitar o local para saber como é o trajeto e conhecer os horários dos meios de transporte disponíveis, se for o caso, tais como ônibus, vans ou táxis. Lembre-se de sair de casa com um pouco de antecedência, se o local da prova não for muito distante, é claro. Tente chegar ao local da prova, no mínimo, uma hora antes do seu início. Em muitos casos, as vias de acesso aos locais ficam congestionadas”, comentou.

No dia da prova, a principal dica é evitar correrias, deslocando-se com antecedência para o local. Chegar atrasado certamente significará ficar do lado de fora, e perder a prova. Contudo, chegar em cima da hora, todo esbaforido, também pode comprometer o preparo, ao alterar o estado emocional do estudante.Enem

“Na alimentação, o ideal são frutas e um copo de leite no café da manhã. Como a prova começa às 13 horas, o ideal é almoçar um prato à base de massas e um molho sem muita gordura. Um sanduíche natural de pão integral também é bem-vindo. Essas são boas opções. Uma macarronada com molho pouco gorduroso, como o de tomate, por exemplo, é um prato que é rapidamente digerido pelo organismo e produz boa quantidade de energia.”

Para aqueles que não conseguirem almoçar, vale a pena encarar um sanduíche natural de pão integral e peito de peru, atum ou frango, acompanhado de um copo de leite ou suco de frutas.



Na Redação, atenção aos temas atuais

No linguajar próprio dos jovens, para ‘se dar bem’ no Enem, não basta estudar. É preciso ‘estar ligado’. “O exame sempre traz questões envolvendo temas da atualidade. Essa é uma das razões pelas quais um aluno que fez um bom ensino médio, e se considera preparado, termina tirando uma nota inferior a outro aluno, que não se considera preparado, mas está bem informado pela mídia. Estudar os conteúdos é importante, mas não suficiente. O candidato precisa ser bem informado sobre o que aconteceu recentemente no mundo. Os fatos abordados na prova são globais e não locais, para não favorecer ou prejudicar ninguém. A Redação sempre aborda uma questão da atualidade. E, para escrever bem sobre um fato, é necessário um conhecimento minucioso do mesmo.”

O professor esclarece que fazer uma boa redação não é somente uma questão de saber escrever bem e de conhecer profundamente o tema. “Claro que essas coisas são importantes, mas existem também outros ingredientes igualmente significativos dentro das técnicas modernas de redação. A característica mais preponderante da Redação do Novo Enem é a estruturação na forma de texto em prosa do tipo dissertativo-argumentativo, construído a partir da proposta de um tema sempre aberto e abrangente, geralmente de ordem social, política, cultural, ambiental ou científica”, disse ele.

Assim, os conflitos na Líbia, os dez anos do 11 de Setembro, a crise financeira na Europa, os episódios de violência nas escolas, a ascensão da mulher na sociedade – com a eleição da presidente Dilma – e a realização de importantes eventos esportivos no Brasil (Copa e Olimpíada) são temas em alta para este ano. Nessas duas próximas semanas ainda dá tempo de inteirar-se sobre estes e outros assuntos.

Terminou sua prova? Calma aí… Saiba que ainda há um cuidado final a tomar neste dia tão especial. “Se o aluno terminar a prova e ainda sobrar algum tempo, deve reler as questões em busca de erros. As questões mais simples podem ser também as que mais exigem a nossa atenção. Por trás da aparente facilidade pode estar escondida uma armadilha. Deixe uns 15 ou 20 minutos para passar as respostas para o cartão, e verifique se você não ‘pulou’ alguma questão. Continue tranquilo mesmo nos momentos finais. Se seus colegas começarem a entregar a prova antes, não se preocupe. Use o seu tempo, dite o seu ritmo, e não se oriente pelos outros. A maioria entrega a prova antes do tempo determinado. Essas pessoas, geralmente, são aquelas que nada estudaram. Ou que não encaram a avaliação com a seriedade necessária.”



Dentro da sala, concentração deve ser total
As recomendações de Nonato de Andrade prosseguem, agora, para o momento seguinte, isto é, quando o aluno já está dentro da sala de prova. “Uma vez sentado no ambiente da avaliação, concentre-se, respire fundo duas ou três vezes para acalmar os nervos, imagine-se muito calmo e tranquilo. Não participe de bagunças, conversas, alaridos que possam perturbá-lo. Ouça atentamente as explicações dadas pelos fiscais e aguarde serenamente o início da prova.”

O professor lembra que, neste momento, é muito comum que o estudante se distraia, por exemplo, ao ficar medindo a capacidade dos concorrentes que estão entrando na sala, às vezes, somente pela aparência. “Alguns nos parecem mais intelectuais, outros nem tanto… Enfim, não dá para saber o grau de preparação das pessoas simplesmente observando-as externamente. Então, o melhor mesmo é manter uma atitude de humildade, com dignidade. Cada um tem a sua história de vitórias e derrotas, e não sabemos para quem a prova vai se encaixar melhor. É preciso relaxar quanto a isso.”

Na maioria dos locais onde são realizadas as provas, o jovem pode levar um pequeno lanche, uma garrafa com água e alguns chocolates ou bombons. Controlar o tempo é fundamental.

“Não faça das provas um teste de rapidez. Por outro lado, ocupe todo o tempo disponível. O recomendável é ler atentamente os enunciados das questões, para interpretá-las corretamente. Outra dica é garantir o máximo de acertos com as questões consideradas mais fáceis, enfrentando depois as mais complicadas. A maioria dos candidatos sempre admitem que o tempo é pouco para fazer toda a prova. Até porque a rapidez com que um candidato raciocina também está sendo avaliada.”



No quesito leitura, corrida é contra o tempo
São frequentes as reclamações de estudantes quanto à estrutura do Enem, sobretudo em relação ao grande número de questões (180, mais a Redação) e a utilização de textos longos nos enunciados. Tudo isso somado numa equação que tem, como desafio final, pouco tempo para a resolução. O que Nonato de Andrade pensa a respeito das reclamações dos jovens que já passaram pelo Enem?

“Excluindo os excessos já ocorridos em algumas questões, como um texto demasiadamente grande com informações até repetidas, eu não concordo com essas críticas. O aluno deve ser habituado a ler, e muitas vezes a banca também precisa esclarecer melhor uma questão. Assim, naturalmente, termina aumentando o texto. Em qualquer concurso ou vestibular que se preze, o aluno deverá enfrentar um caderno de provas. O problema é que ele não está acostumado com esse tipo de tratamento.”

Em seu cotidiano, o professor, muitas vezes, não tem tempo de elaborar uma prova usando textos, porque precisa fazer vários ‘bicos’ para sobreviver. “Assim, os alunos terminam fazendo uma provinha de uma ou duas laudas. Contudo, a capacidade de leitura, o pensamento rápido e a interpretação estão sendo avaliados juntos no conjunto de provas”, pontua ele, para quem inscritos no Enem devem permanecer atentos, para não saírem derrotados pela questão do tempo.

“Procure fazer um controle do tempo. Em algumas provas você tem menos de dois ou três minutos para resolver cada questão. Claro que não precisa fazer um controle extremo a ponto de ficar o tempo todo olhando para o relógio! Algumas questões você responderá normalmente em poucos segundos, sobrando tempo para as outras. Todo cuidado é pouco! Atenção para não gastar muito tempo em uma questão considerada difícil ou que tenha um enunciado muito grande, enquanto que o mesmo tempo poderia lhe garantir várias outras questões consideradas mais fáceis.”