Na última segunda-feira, dia 25, o Instituto de Aplicação Fernando da Silveira, que funciona como Colégio de Aplicação da Uerj (CAp), fez a matrícula dos contemplados no primeiro sorteio para o 1º ano do ensino fundamental. Agora, os responsáveis aguardam por informações mais precisas sobre como será a inserção dos estudantes na escola.

Até o fim dessa semana, os pais dos sorteados devem ser chamados ao CAp-Uerj para conversar com a direção. O objetivo desse encontro é esclarecer a partir de quando os estudantes poderão frequentar a escola e, ainda, se haverá mudança em relação ao turno.

Diante de uma perspectiva de resolução do problema, os pais já sentem-se mais aliviados após mais de quatro meses de indefinição sobre se os filhos poderiam ou não estudar no CAp-Uerj.

Monica Wermelinger, uma das mães que esteve, no último dia 18 de abril, em frente ao colégio para reivindicar que sua filha fosse matriculada, como determinava uma decisão da Justiça, disse que o atendimento foi tranquilo e que, agora, só resta esperar pela definição da escola. “A sensação é de tirar um peso de cima de nós. A única questão, agora, é saber quando será possível assistir às aulas e o horário”, comentou a mãe.

Magna Albino, mãe de Eduarda Albino, de 6 anos, disse que boa parte dos pais compareceram bem cedo ao CAp-Uerj, por volta das 7 horas, para levar os documentos necessários à matrícula. Cada um recebeu um comprovante de que o filho estava matriculado. Ela também destacou que sente-se aliviada, mas lamentou que a direção não tenha recebido os pais no dia em que foram fazer a matrícula.

“Hoje é o dia mais feliz das nossas vidas. Mas estamos comemorando entre nós. Não percebemos um acolhimento do outro lado. Desde novembro, nunca fomos recebidos pela Uerj ou qualquer pessoa. Hoje, esperava que nos recebessem, mesmo que para dizer o que ouvimos aqui dos funcionários”, destacou a mãe.

O primeiro sorteio aconteceu ainda em 2010. No entanto, um grupo de pais contestou as regras na Justiça e obteve ganho de causa. Os responsáveis pelos alunos sorteados, por sua vez, recorreram da decisão, e também obtiveram posição positiva da Justiça, mas não em tempo de evitar a realização de uma segunda seleção, que ocorreu em fevereiro. A Uerj matriculou apenas os beneficiados pelo segundo sorteio, que, inclusive, já iniciaram as aulas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...